Ao som da Marcha Fúnebre, de Chopin, o blogueiro capenga volta a dar o ar da graça

“Música de funeral” por excelência, ainda que sofra de um preconceito (pois, apesar do começo sombrio e carregado, o andamento logo muda radicalmente e a atmosfera passa a ser quase primaveril, luminosa, lá pela metade de seus quase dez minutos totais), eis que é com a Marcha Fúnebre, de Fréderic Chopin, que volto a escrever… Continuar lendo Ao som da Marcha Fúnebre, de Chopin, o blogueiro capenga volta a dar o ar da graça